Fórum em Tarauacá tem participação de representantes indígenas

Para contribuir com novas propostas para o futuro do Instituto Federal do Acre (IFAC), docentes, técnicos-administrativos e também membros de comunidades indígenas participaram de mais uma etapa do Planejamento Estratégico da instituição. O encontro, que foi realizado nos dias 10 e 11 de abril, aconteceu no campus Tarauacá.

Representando a aldeia Shane Kaya, do município de Feijó, Valdemir Gomes ressaltou que a participação nas atividades desenvolvidas pelo IFAC é reflexo da inclusão desenvolvida no Instituto. “É um privilégio participar deste momento e foi uma satisfação receber o convite. A nossa aldeia já é parceria do IFAC. Espero que este momento de planejamento possa se transformar em realidade diante da sociedade. É uma etapa de construção para gerações futuras”.

Técnica-administrativa do campus Tarauacá, Amanda Bonfim conta que a participação no Planejamento Estratégico, na fase de formação de portfólio de projetos, reforça a necessidade de se pensar ações para as próximas gerações.

“As pessoas que estão participando do Planejamento devem analisar o elas estão vivendo hoje e o que é possível ser melhorado. Temos que pensar nas próximas gerações. Como servidora, é uma satisfação ver que estamos fazendo parte desta construção, que também reflete na comunidade e no país. É uma honra participar desta fase e poder contribuir para gestões futuras”, ressaltou Amanda Bonfim.

Durante o encontro, o Mapa Estratégico, que já está validado, também foi apresentado aos servidores e demais presentes no fórum de gestão. Para elaboração do portfólio de projetos, os participantes se dividiram em grupos. Ao final, as propostas foram apresentadas a todos.

Conforme explica o diretor-fundador da empresa Steibeins Sibe do Brasil, Peter Dostler, os projetos propostos serão consolidados e apresentados aos membros do Colégio de Dirigentes do IFAC. A expectativa é de que as propostas sejam selecionadas por meio de análise hierárquica de processo, ou seja, método que auxiliará os gestores na tomada de decisões complexas, como também para justificar as escolhas, que serão executadas a curto, médio e longo prazo.