Docentes e técnicos participam de fórum de gestão em Cruzeiro do Sul

Para ampliar as discussões e dar andamento à formação do Planejamento Estratégico do Instituto Federal do Acre (IFAC), servidores do campus Cruzeiro do Sul participaram de mais uma rodada de fórum de gestão. O evento, que foi realizado no dia 12 de abril, contou também com a participação da comunidade e representantes de instituições locais.

Professora de Zootecnia, Emanuela Costa Fernandes, que atua na instituição desde 2010, conta que em cada etapa de construção do Planejamento Estratégico, os servidores têm avançado ainda mais com ideias. “A participação dos servidores, junto com a equipe de gestão, tem dado norte a este trabalho. Estamos tendo a oportunidade de fazer um planejamento para os próximos 20 anos e assim deixar um pouco de cada uma de nós na instituição”.

Coordenador de Tecnologia da Informação e Comunicação do campus Cruzeiro do Sul, Elissandro da Silva Bonifácio, também integrou as discussões. Para ele, participar das ações relacionadas ao Planejamento Estratégico contribui para o crescimento dos servidores.

“A nossa participação é com intuito de poder ajudar a instituição a desenvolver um belo trabalho. Temos a perspectiva de que o IFAC sempre cresça. Para isso precisamos participar, dar opinião, ouvir os colegas e, em conjunto, trazer algo melhor para o Instituto. Que IFAC cresça e que façamos juntos a diferença para no futuro colher algo melhor”, destacou Elissandro Bonifácio.

Além de servidores e membros da atual gestão, também participaram membros da comunidade e representantes de instituições locais. Daniel Moreira Lambertucci, que é analista da Embrapa/Acre, ressaltou a importância do IFAC em ouvir os servidores e também a comunidade. Segundo ele, para que a instituição possa ter bons resultados, é preciso planejar.

“Toda instituição necessita fazer esse trabalho de projetar o futuro, buscando atender as demandas regionais, aumentar sua potencialidade na região. O processo de Planejamento Estratégico do IFAC é muito importante, é um exercício que se faz sobre aonde se quer chegar. A participação de instituições externas, como o caso da Embrapa, é de bastante relevância, pois traz ideias diferenciadas, novas inserções de demandas, além de sugestões para a estruturação do planejamento”, ressaltou Lambertucci.