IFAC inicia seu Planejamento Estratégico

O Instituto Federal do Acre deu início ao seu Planejamento Estratégico para 20 anos. A apresentação da proposta e da empresa de consultoria contratada para auxiliar nas atividades aconteceu na segunda, dia 22 de agosto, no auditório do Campus Rio Branco com retransmissão online para todos os servidores.

Expectativa da gestão

O evento foi aberto pela reitora, Profa. Rosana Cavalcante dos Santos, com a presença de todos os pró-reitores a mesa. Cada um deixou sua mensagem.  A primeira foi a pró-reitora de Planejamento e Desenvolvimento Institucional, Gírlen dos Santos, responsável pela gestão direta da ação. Para ela, esta é uma nova fase do IFAC em que a gestão se moderniza para atender e cumprir seu caminho com mais qualidade. “Em tempo de racionalização de recursos, o planejamento é essencial. O que esperamos é que gestores, servidores e alunos, toda a comunidade enfim se sinta parte deste planejamento. Vamos juntos ver nossas dificuldades, obstáculos e desafios e mapear nossas potencialidades”, convidou.

O pró-reitor de Administração, Claudemir Nascimento, disse que planejar é preparar o IFAC para o futuro. O mesmo pensamento expressou os pró-reitores de Pesquisa, Prof. Pedro Plese e Extensão, Prof. Fábio Oliveira. “Veremos o reflexo do IFAC daqui a 20 anos. Parece longe, para alguns isso parece a expectativa de aposentadoria, mas não é. Acima de tudo devemos pensar no que o IFAC representa para o Estado do Acre, esse é o nosso foco”, disse o Prof. Fábio. Já para a pró-reitora de Ensino, Profa. Lucilene Acácio, o planejamento é antes uma oportunidade de já nos perceber grandes. “Com mais de 600 servidores, 4 mil alunos presenciais e 2 mil a distância não somos mais pequenos.  Precisamos tomar consciência do que somos e do que queremos ser”, sugeriu.

Profa. Rosana, reitora do IFAC, encerrou as falas fazendo o histórico sobre sua vontade de promover o planejamento institucional desde a primeira etapa de sua gestão, em 2014. “Hoje compreendendo que este é o momento certo, porque agora somos eleitos, não mais indicados e não temeremos oscilações de gestão. E a tarefa de casa começamos com o resgate do organograma para o status de Pró-reitoria ao setor de Planejamento e Desenvolvimento Institucional. Este é um momento sem volta. Queremos o IFAC com muros baixos para que reflitamos o que acontece lá fora. Sejamos transparentes. Com o planejamento vamos pensar soluções para nossas vulnerabilidades e nos transformar em fortalezas. Planejamento não se faz em grupo pequeno e com a equipe gestora, se faz no coletivo. O que vamos construir é para o resto de nossas vidas. O IFAC é nossa segunda casa. E o que cada um de nós quer para si e para o nosso ambiente se não é motivação, felicidade? Por isso temos que nos posicionar”, reforçou o convite.

Sobre o porquê de contratar uma empresa, a reitora justificou que mesmo que tenhamos profissionais para a gestão do desenvolvimento trazemos a humanidade de olhares muitas vezes viciados. “A empresa olha o todo, o de dentro e o de fora, observando talvez o que não enxergamos”, justificou e aproveitando para noticiar resultados da viagem recente que fez ao Peru para alinhar parcerias com instituições de ensino no País vizinho. “Ouvi do reitor da Universidad San Marcos, uma instituição com 460 anos, que se o IFAC já é o que é com 6 anos, imagine o que podemos ser com 460? Vale refletirmos”, disse.

Planejamento Estratégico

A empresa e os passos para a realização do planejamento estratégico do IFAC foram apresentados pelo diretor-fundador da Steinbeis – SIBE do Brasil, o alemão Peter Dostler.

Ele contou sobre sua experiência profissional e sua relação com o Brasil que já ultrapassa duas décadas. Segundo ele, a empresa possui equipe multidisciplinar, ética, comprometida e de qualidade. Cada projeto é específico, não sendo aplicada única fórmula para todas. “Estamos há 14 anos no Brasil e 95% dos nossos clientes estão na gestão pública, indo do Ministério Público, Saúde, Educação, Receita e Polícia Federal, Bancos e o Exército”, exemplificou. .

A Steinbeis é uma Fundação do Estado alemão, especialista em transferir tecnologia em conhecimento. “Possuímos a terceira maior plataforma do mundo nesta área, com 6500 especialistas e 700 professores em 50 países”, contou, reforçando que o Brasil é muito maior do que a crise e o momento é propício para nos repensarmos.

O nome da instituição vem de Ferdinand von Steibeins (1807 a 1893), conselheiro do rei, que criou escolas e o ensino dual. “Sem inovação não tem futuro. Temos que nos relacionarmos melhor com o mundo do trabalho”, indicou.

Sobre o trabalho que será desenvolvido no IFAC, Peter explicou que em um ano seis etapas estão previstas, que vão da organização, diagnóstico, estratégias, capacitações, assessoria até a formação de lideranças. Entre as tarefas constam o plano de comunicação estratégica, mapas de visão, visão, valores, portifólio de projetos, e a revisão e elaboração do Plano de Desenvolvimento Institucional – PDI. “Vamos visitar os campi e ouvir a comunidade. Nos pautamos nas mudanças de culturas como foco em resultados”, enfatizou.

Para encerrar a apresentação, Daniel Pena, diretor de Controle e Gestão Institucional da Universidade Federal do Acre – UFAC, deu seu testemunho sobre o sucesso da contratação da mesma empresa de consultoria. “Iniciamos o planejamento quando a universidade estava completando 50 anos. Em apenas dois anos todos sentem a diferença do que éramos e no que nos tornamos”, destacou.

A Stenbeis iniciou no mesmo dia as atividades no IFAC, promovendo encontro com o Colégio de Dirigentes (pró-reitores e diretores sistêmicos e de campi) e com lideranças. Ao longo da semana foram programadas também entrevistas com lideranças externas para coleta de informações sobre a instituição.